domingo, 24 de março de 2019

Divagações... ou não?

Publicado originalmente em 31/12/2018 - https://fetlife.com/users/7442397/posts/5390826

Tem uma coisa que algumas submissas não sabem:
Nós somos meros fantoches.
Somos objetos, não temos valor.
Nosso valor está na nossa submissão.
Se não há submissão, não servimos para nada.

Esqueça essa conversa de que submissa é joia rara.
Ou que é uma flor preciosa no jardim da submissão.
Nós não somos nada.

Você quer ficar, aceite.
Você não quer ficar, vá embora... tem várias querendo ficar.
É tão simples e tão mais fácil de entender.

Sua submissão vale tudo... desde que você se submeta, se permita.

O Dominante vai respeitar a sua submissão.
Vai ter imenso prazer em aceitar a sua submissão.

As pessoas vêem a minha postura, a minha devoção ao Mestre Gregório.
Mas de quem é o mérito disso?
Meu? ou Dele?
Eu sou um mero objeto... um material bruto para Ele modelar a Sua arte.
Tenho o meu mérito? Claro.
Meu mérito é me submeter, aceitar ser o material bruto, aceitar esperar quando Ele quer ter prazer.
Quem disse que é fácil ser escrava?

Nós somos ansiosas.
Quando a gente chega, quer fazer... quer ação.
Hoje, com o Mestre Gregório, eu sou paciente.
Até um ano atrás eu não era e já estou a bastante tempo por aqui.

Somos falhas... sempre...
Temos fraquezas, mas vamos amadurecendo.
Não é fácil, mas temos que ter prazer com isso. Se não tivermos prazer, está errado.

Meu sofrimento me dá prazer.
Minha castidade me dá prazer.
Meu isolamento me dá prazer.
Ver o Mestre Gregório usando outras me faz sofrer mas me dá prazer.
Porque sei a realidade da minha posição, e ela me dá prazer.

O BDSM tem que lhe dar prazer.
Não importa em que sentido que seja.

Sou masoquista.... mas meu masoquismo não é apenas físico... é psicológico também.
Sou apenas uma escrava...

Algumas submissas que estão nos grupos por aí vão dizer que o que estou dizendo é loucura.

Eu li uma vez em um texto.
Dizia: "deixe de lado a submissa que você pensa que é e se torne a submissa que você tem que ser".
Quando eu me cresço demais, ou me acho importante, ou começo a perder a humildade.
Eu paro, me jogo aos pés do Mestre Gregório e Ele me coloca no devido lugar. Sempre...

Porque eu não sou nada.
E como nada devo continuar a ser.

É necessário exercitar a gratidão.
Pelo que vivemos.
Pelas experiências que temos.
Pelas pessoas que estamos conhecendo.
Muita gente não tem coragem de viver o que vivemos.

Se você serve a alguém, agradeça-O sempre.
Por lhe permitir fazer parte da vida Dele.
Por lhe dar a oportunidade de ser usada por Ele.
Por Ele dedicar parte do tempo Dele com você.

Porque nós não somos nada.

E, por sermos nada, agradecemos por nos tornarmos algo nas mãos Deles.

Compreende isso?
Não é apenas compreender o que eu disse... É entender e sentir.
Permita-se.

by lilica de Mestre Gregório 

Nenhum comentário:

Dez anos e o blog voltou!!!

  Em 2008, quando eu ainda servia ao Senhor FA e me chamava Emanuelle, criei o blog Diário de Emanuelle com a intenção de traduzir em pal...